Pesquisar este blog

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

pensando....

MATARAM O AMOR!
Muitos dirão:
- Esse ai ta louco! Como assim!?
Pois é se não mataram tão tentando matar! Pelo menos o amor na forma que eu conheço...
- claro cada um ama de uma forma, amor não tem definição, como cada um sente é que vai caracterizar “amor”
É amor não tem definição, mas acredito que ele seja baseado em valores que são muito bem definidos: respeito, amizade, admiração pelo outro (como “SER” e não objeto de desejo), cumplicidade, D-I-A-L-O-G-O, casamentos acabam quando acaba o sexo...???? E o resto? E o outro? E o que foi construído? (se é que foi)... Construção com um pilar só... Nem o Niemayer. Os meios de comunicação e a falta de cultura estão acabando com o amor como foi constituído em sua essência, as pessoas estão “fazendo amor” (que dura se muito... 10 minutos??) e não construindo/vivendo amor para uma vida inteira. Realmente amar não pode ser entendido, mas também não entendo por que banalizar um sentimento tão frágil por mero prazer pessoal, fútil e superficial...
Não! Não disse que sexo é ruim, pelo contrario é magnífico... Feito com amor não com sexo pelo sexo... Talvez por isso que tenha tanta gente deprimida... Prazer, assim como felicidade, é feito de momentos e não dura para alem do momento será que não estamos buscando algo inalcançável, prazer e felicidade plenos... alguém já viu isso? Provavelmente não... se viu... Acredito que deva rever seus conceitos.
Não quero ensinar ninguém a amar cada um sabe o que faz, só queria que as pessoas pensassem em como se “ama” hoje e em que estamos baseando o amor, será que não estamos afundando em uma areia movediça de orgulho, egocentrismo, paixão (que para mim é um sentimento sem fundação, sem pilar e sem viga, construído numa nuvem... chove, a nuvem se vai e tudo acaba ate que venha a próxima nuvem), superficialidade...
Aliás, paixão vira amor, mas o processo é rápido, é no primeiro olhar, no primeiro toque, no primeiro OI! Se passar de paixão para a dúvida e não virar amor danou-se. Sim, quem ama tem dúvidas, mas não desiste do outro e não quer que o outro desista dele, enfrenta os conflitos de forma consciente, quando tem problemas da um tempo, mas não vai embora, existe uma força maior que o impede, o tempo é ali, juntos, unidos, conversando, acertando os ponteiros. Porque amor não se deixa para depois, amor é sentimento, respiração, é pleno, é 24 horas... É VIDA... E vida igualmente não se deixa de lado porque quando nos afastamos da vida ela inevitavelmente enfraquece e... morre. 
Não devemos também viver para o outro, não devemos perder nossa identidade, mas sim fundir o que cada um tem de melhor e criar de fato “um só corpo e uma só carne” sermos “um Ser” melhor, aprender com os erros e acertos desse “Ser”.
A sim, e os amigos? Podemos amá-los? Sim! Devemos amá-los, mas só os verdadeiros, pois amigos não se contam em quantidade, mas em qualidade, quem tem um bom amigo, de verdade, pode se considerar um Ser raro, quem tem dois ou mais um abençoado, amigos se mostram a qualquer hora sem distinção como se fosse uma união distante, mesmo sem a presença constante ou a convivência diária, são pessoas que pensam na gente, que querem sempre nosso bem. Amigos são os que mesmo durante anos não se vêem, mas estão sempre um nas lembranças do outro, quando se reencontram reconhecem um no outro a pessoa especial que os cativou. Amigos são amores especiais que devem ser cultivados com muito carinho, a amizade não pode morrer com a ausência, com a distância, pois amigos não estão sempre por perto, mas estarão ali quando precisarmos.
O que foi escrito aqui são apenas palavras, um convite a reflexão, espero que num futuro próximo as pessoas se respeitem mais, se compreendam mais, e sejam mais pacientes uns com os outros.
Palavras podem ser bem escritas ou bem ditas, mas devemos lembrar que é muito provável que não seremos, no fim, lembrados pelo que escrevemos ou falamos, e sim pelos nossos atos e ações.
Um mundo melhor começa pelo cada um faz para melhorar a si mesmo.
Abraço